Viver no Campo

Para alguns seguidores não será novidade o facto de eu viver no campo, não sou menina da cidade, mas sim nasci numa vila pouco desenvolvida, onde a natureza predomina. Desde pequena via os meus pais e avó a plantar todo o tipo de legumes, desde batatas, tomates, pepinos, pimentos, alface, enfim... É verdade que não fui habituada a acompanhá-los sempre, pois acabava sempre por ficar em casa a fazer a lida doméstica para ajudar a minha mãe, visto que ela já vinha cansada da horta, então desde os meus 12 aninhos já limpava o pó, já lavava a louça e arrumava as coisas básicas que uma casa tem :) Podem até pensar, "Mas ela era tão novinha!" , a verdade é que sempre fui uma menina responsável e sempre ajudei os meus pais no que era preciso. E tinha sempre tempo para fazer os meus deveres de casa (trabalhos da escola) e ainda brincar na rua com a liberdade que hoje não se tem tanto devido aos perigos que todos nós sabemos.

Mas tudo para vos dizer que cresci perto da agricultura, das árvores de fruto e dos campos verdejantes. Vivo rodeada de natureza, sem grandes poluições e de bastante ar puro. Tem as suas vantagens, mas também as desvantagens de estar longe de quase tudo, sendo que a cidade mais próxima é a 50km. Mas pronto, é um local bem tranquilo e muitos turistas o escolhem para passar férias, porque o contacto com a natureza é relaxante e há pouco mais de 10 anos foi contruída a Praia das Rocas que todos os verões traz imensa gente cá.

Há uns anos atrás cheguei a fazer um jogo de adivinhas bem engraçado sobre agricultura, acho que vão gostar de ver as fotos publicadas. Vejam aqui -> POST


Algo que adoro é a Primavera e ver as árvores cheias de flor, transborda uma beleza natural magnifica e sempre apreciei isso. Ver as terras/campos plantados, tudo muito verde e biológico, é do melhor que temos. Dá trabalho sem dúvida, mas ver depois tudo a dar frutos, é bastante gratificante, além da poupança que fazemos, comemos algo que sabemos de onde vem e como foi plantado. Sem aditivos, tudo muito mais natural.


Recentemente, publiquei uma foto na página do Facebook a mostrar as ervilhas que debulhei e as favas que eram as próximas. Neste momento, as tarefas já estão concluídas e por acaso é algo que gosto de fazer, apesar de só gostar de comer ervilhas, as favas acabo por meter tudo pró lado do prato :p
E vocês?
Cresceram no campo ou têm alguma recordação?
Têm algum familiar que também cultiva?

Comentários

  1. Cresci e vivo numa vila muito pequena, estando também rodeada por todo esse ambiente campestre e não a troco por nada. É lugar das minhas melhores memórias de criança e também, pelo facto de viver num sitio com pouca gente, desde cedo que sempre tive mais liberdade e mais brincadeiras "á moda antiga".
    FOX WHISPER

    ResponderEliminar
  2. Minha querida, comobme científico. Cresci a ver o meu pai a cultivar o campo e a minha mãe a tratar das flores e da casa. Cresci a ver o meu pai a cuidar das cebolas, batatas e feijão , cuidou quase até ao ultimo suspiro, ficou o vazio. Senti me deslocada por vivermosdo campo, mas hoje, hoje, eu sei que deslocados eram aqueles que não sabiam o que era comer o que se colhe, beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pura verdade Vera! Gostei do sentimento com que depositaste o teu comentário aqui. um beijinho*

      Eliminar
  3. Olá :)

    Eu nasci em Lisboa e é onde moro, mas os meus pais pertencem a zonas menos citadinas, a minha mãe ligada à zona da Beira Baixa e o meu pai ao Alto-Douro. Logo, desde sempre que tive ligação à terra, ao campo, a cultivar, a semear e a colher. E posso dizer-te que é uma alegria quando posso fugir da cidade e ter a calma tranquila do rio frente a casa dos meus avôs. :)
    Não troques o lugar onde te sentes feliz por nada! :)

    Beijinhos,
    Sónia Carvalho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pena o interior estar a desertificar, porque realmente prefiro viver aqui do que no movimento da cidade :) Mas lá está fui habituada a crescer aqui e confesso que quando há mais confusão, fujo um pouco dela :)

      Eliminar
  4. Eu tive a oportunidade de embora vivendo numa grande cidade poder usufruir da vida do campo pois tinha familiares no Alentejo e na minha infância e adolescência as férias eram sempre lá passadas e era sempre uma emoção e diversão constantes .Aprender a cultivar a terra , a tratar dos animais , a cozer o pão na lenha ...actualmente tento sempre que me é possível lá passar uns dias porque e o melhor local para renovar energias e descansar .

    ResponderEliminar
  5. Ola Paulinha! Eu nasci em Lisboa e a minha infância foi passada a brincar na rua com as outras crianças (belos tempos) hoje em dia é diferente pois ha muitos perigos , nao é que naquela altura nao houvesse mas... era diferente. Entretanto troquei a grande cidade pela vila de Melgaço onde habitualmente vivo e adoro, nao ha melhor vida que a do campo. Aqui sim os meus filhos brincam a vontade , coisa que eu eu ainda vivesse em Lisboa nao era possivel. Adorei o post linda :) Obrigada , beijinhos <3

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A liberdade do campo é bem diferente da liberdade da cidade, mas nem todos têm a sorte de a desfrutar, é verdade. Perigos haverá sempre em todo o lado, mas é diferente como dizes :)

      Eliminar
  6. Eu sou e sempre fui menina da cidade :P Mas sempre tive algum contacto com o campo. Os meus avós maternos são de Trás-dos-Montes, moravam numa aldeia pequenina e também viviam do campo. Em pequenina não gostava de lá estar, porque o tempo custava muito a passar e não tinha com quem brincar, deitava-me muito cedo para depois acordar cedo... Em grande (já no tempo de faculdade) adorava ir para lá, aquele sossego fazia-me bem :)
    Beijinho

    ResponderEliminar
  7. Nasci no Porto, mas fui criada numa quinta, por isso compreendo perfeitamente o que escreveste.

    ResponderEliminar
  8. Nasci em Coimbra e vivo em Coimbra. Não me imagino a viver num sítio que não seja cidade. Vou visitar os meus avós à aldeia e é uma pasmaceira. O campo tem o seu encanto, mas apenas para passar uns dias. :)

    ResponderEliminar
  9. Também moro numa zona um pouco rural e adoro, à coisas como o chilrear os passarinhos o cheiro a erva fresca.

    ResponderEliminar
  10. Nasci no campo e adoro viver no campo. Todos os dias aprendemos e descobrimos com a natureza.

    ResponderEliminar
  11. Cresci no campo, numa aldeia bem pequena e aos meus 15 anos mudei-me para uma Vila. Só tenho saudades de alguns momentos e realmente o ar é puro mas, já não conseguia viver numa aldeia. Detesto os bichos como aranhas, osgas, sardaniscas, cobras, sardões, baratas...os bicharocos do campo...detesto...apesar de alguns destes existirem na Vila, morei numa casa em que encontrava constantemente osgas e baratas no quintal, que nojo. Mas tenho saudades de poder brincar, ser criança sem ter responsabilidades, de ir á hortinha da minha avó apanhar um tomate, lavá-lo e comê-lo assim inteiro como se fosse uma maçã, saudades da minha avó e do pão caseiro feito no forno a lenha, dos bolinhos de limão, tanta coisa mas, já não era capaz de morar numa aldeia.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como tudo na vida tem o seu lado bom e mau :) Os bichos fazem parte da natureza, eu já me habituei, mas obvio que também não gosto de uma grande maioria deles, desde que não me entrem em casa está tudo bem hehe :)

      Eliminar
  12. Quem me dera ter alguma casa no campo, vivo mesmo no centro de Lisboa, e com muita pena minha não tenho nenhum familiar que viva no campo, só mesmo no verão e nas férias tento sempre passar alguns dias fora da cidade e procuro o campo e praia, tão bom !!! Tens imensa sorte linda !!! adorei o post beijinhos

    ResponderEliminar
  13. Olá, eu percebo perfeitamente, porque vivo rodeada de natureza todo o ano, a volta de casa temos um pouco de tudo, desde ameixeiras, cerejeiras, noneiras, nogueiras, castanheiras, para além daquilo que cultivamos todo o ano como batatas, feijão, cebola, tomate...enfim cinco mil metros quadrados de natureza e liberdade, porque tenho bastantes cães e gatos, o melhor é acordar todos os dias sem barulho só com o cantar dos pássaros, já vivi em cidades mais não as troco pela vida saudável do campo.

    ResponderEliminar
  14. Gosteiiiii do post pois ha poukinhos dias ke mudei de casa, mudei para dentro da vila, pois morava numa kinta no kampo e adorava morar lá... acordava ao som dos passarinhos... gosto mto mais de morar no kampo do ke na cidade...

    ResponderEliminar
  15. Também cresci no campo e ajudava em casa desde muito cedo, só me fez bem.
    A tranquilidade não tem preço e a poluição da cidade até se cola à pele e ao cabelo.

    ResponderEliminar
  16. Viver na cidade é confortável, mas limitativo. Viver no campo, ter o seu pedaço de terra e de pomar é maravilha: fruta e vegetais frescos e da época! E tens mesmo a noção da beleza da mudança das estações!

    ResponderEliminar
  17. Lembro com grande encanto as férias "grandes" na aldeia de nascença de meu saudoso pai. Ficaram das minhas melhores memórias, os dias de calor, terra esbatida na roupa, e o chapinar na água do rio. E claro, as brincadeiras tão diferentes com os meus primos aí residentes. Sim, ser-me-á difícil imaginar a residência durante todo o ano naquela aldeia, no entanto, para sempre ficam as melhores recordações das férias no campo.

    ResponderEliminar
  18. Cresci num ambiente rural e minha mãe cultiva o quintal aqui de casa. Dou uma ajuda sempre que ela precisa :)
    Adoro tudo o que tenha haver com natureza. Na escola primária havia sempre aquela celebre pergunta que era qual dos "destinos" gostava-mos mais passar as férias, na praia ou no campo. Respondia sempre sem mínima das dúvidas que era o campo, e continuo a preferir! Beijinhos :)

    ResponderEliminar
  19. O campo é uma excelente opção a poluição da cidade, quem me dera viver no campo com os meus filhotes :)

    ResponderEliminar
  20. Gosto muito do campo e da vida do campo....nao à nada melhor do que respirar ar puro e puder correr mais "livremente". Eu nao vivo no centro, embora seja pertinho, e por mim vivia sempre assim, perto, mas não no meio da cidade :)

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

A Madrinha tem Saudades Tuas

Tragédia que Nunca Esquecerei

Avó Ausente