Tragédia que Nunca Esquecerei


Dia 17 de junho de 2017 ficará na minha memória como um dos dias mais triste e marcante que alguma vez poderia ter vivido. Quem diria que num dia de calor tão calmo e pacifico, um vento tão forte se formava por volta das 20h e seria um dos principais causadores do deflagrar do incêndio que nada faria prever um inferno tão trágico. Eram 20:30h quando comecei a deparar-me com uma nuvem imensa de fumo e já avistando também a chama do fogo ao longe na serra, que em pouco mais de meia hora já tinha ardido uma boa parte de floresta até chegar a algumas aldeias. O que parecia ser um simples incêndio, tornou-se em algo terrível em pouco tempo. As más noticias iam chegando e o desespero aumentava, ver todo aquele fogo que em poucos minutos consumiu uma boa parte de natureza, foi sem dúvida uma das imagens que não vou esquecer. Foram momentos angustiantes, mais ainda quando nem água tínhamos para socorrer seja o que for. Já era noite serrada quando vejo tudo arder à frente da minha casa e pior ainda quando soube que estava completamente rodeada de fogo. O vento foi dos piores inimigos, tanto soprava para norte, como para sul, haviam rodopios e mesmo que uma pessoa quisesse tentar apagar algo, era quase impossível. Aquele fumo tóxico que mal conseguimos respirar ou ver algo, impossibilitava de fazer seja o que for. A Natureza tem uma força absurda e que realmente respeito imenso, tanto o fogo, a água, o vento, ou até trovoada. Porque quando não há qualquer controle da situação, vai tudo pela frente em poucos segundos. Segundos esses que para nós pessoas que vemos o nosso património a arder, uma vida de luta ali perdida em frente dos nossos olhos, faz de facto pensar que hoje temos muito, amanhã não temos rigorosamente nada. E dói! Dói ver isso, ou até mesmo sentir o desespero de não conseguir salvar algo que com muito trabalho construímos. Por vezes a mão humana não consegue fazer milagres face a fenómenos naturais que se tornam incontroláveis.


Eu posso dizer que senti na pele esse desespero, graças a Deus, ainda hoje digo que tive muita sorte no meio de tanta tragédia. Ver a minha casa rodeada de fogo, não foi fácil de gerir toda aquela situação de impotência e desespero. Desatei a chorar e só me lembro de rezar para que nada acontecesse, já soluçava com tanta ansiedade e medo apoderado em mim. Não desejo a ninguém o que passei e o que muitas pessoas passaram (e ainda passam) para salvar as suas casas e as próprias vidas. A minha vila de Castanheira de Pera, está de luto, perderam-se casas, empresas, animais, civis, enfim… um terror que não há palavras para descrever. Ficou uma vila triste, desolada e mais vazia, tanto de natureza que tínhamos imensa, como de população. Hoje olho para a minha vila com tristeza, aquilo de bonito que ela tinha, perdeu-se em pouco mais de 48h. Os reacendimentos continuam infelizmente e enquanto esta vaga de calor não abrandar, o inferno vai continuar sem previsão de acabar. Já vi alguns incêndios em anos anteriores, porque como vivo numa zona que tem imensa floresta/natureza, a probabilidade de incendio é maior, mas nunca tinha assistido a algo como foi desta vez. Nem nunca tinha sentido na pele o sentimento de perda, muito menos achava que seria quase impossível apagar um fogo que inicialmente parecia tão simples.

Agradeço imenso todas as mensagens e chamadas de apoio que me mandaram durante estes momentos angustiantes, não tive possibilidade de responder a todos, até porque deixei de ter rede e só em alguns locais é que apanhava um pequeno traço que por vezes me dava a possibilidade de comunicar com outras pessoas para as tranquilizar.


Nisto tudo, dói saber que muitas pessoas que conhecia, faleceram e perderam tudo o que tinham, até postos de trabalho. É algo que nunca esquecerei e que certamente como se tem vindo a constatar pelos noticiários, será um acontecimento que poucos vão esquecer, pela forma devastadora como tudo aconteceu e que impressiona qualquer um.

Agora só resta esperar que tudo acalme, porque os reacendimentos não têm dado descanso e andamos sempre de vigia e sobressaltados com medo.

Comentários

  1. Nesta altura não existe palavras certas que ajudem a esquecer está tragédia. Infelizmente deixa um rasto de dor, tristeza, lágrimas.. a tantas pessoas/famílias. Tenho acompanhado à distância toda a esta tragédia com muita preocupação e tristeza. Infelizmente não estou mais perto.para puder ajudar, mas neste momento as minhas orações são para todos os que viveram e vivem este drama. Muita força para si, para toda a família e amigos, e que o tempo ajude a apaziguar tido este sofrimento pois esquecer, jamais se esquece uma tragédia como está.
    Um abraço bem forte com carinho

    ResponderEliminar
  2. As imagens são assustadoras :(
    Nem imagino a tua aflição e de todas as pessoas que te rodeiam
    Muita força para ultrapassares tudo isto
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Oh querida amiga ... Graças a Deus nunca presenciei algo semelhante, sequer.
    A distância a que nos encontramos não é muito grande (uns 50/60 km ?!) e o céu, na noite de sábado dia 17, estava preto!
    Desde aí e até hoje não consegui sair à rua durante o dia. Neste momento começou a refrescar!
    Muita força e coragem.
    Um abraço.

    ResponderEliminar
  4. Minha linda não ah palavras para o que aconteceu nem em mim estou =( passamos uma vida para ter um lar e as nossas coisas em em minutos perdemos tudo . E mesmo tudo mesmo triste e não vai ser muito fácil de esquecer o que está acontecer ainda
    força e espero que esteja tudo bem contigo e onde moras
    Beijinhos
    CantinhoDaSofia /Facebook /Intagram
    Tem post novos todos os dias

    ResponderEliminar
  5. Poderá dizer-se que viveste no inferno e Graças a Deus conseguiste passar para o lado positivo "A Vida".
    São momentos que dificilmente se apagarão da tua memória, mas estamos contigo para te ajudar.
    O que da minha parte poder ajudar, conta comigo.
    Um abraço com carinho

    ResponderEliminar
  6. Nem encontro palavras suficientes que expressem o que senti ao ver as notícias pela TV, uma tristeza enorme, uma angústia, um nó na garganta que já há muito não sentia, e ainda hoje sinto cada vez que vejo uma imagem ou um video sobre a tragédia.
    Pelo meu pensamento passou-se tanta coisa...porquê? porque é que é que estas desgraças têm que acontecer? a pessoas boas, que fazem demais pela vida, que lutam anos para terem alguma coisa delas...enfim...nada disto merecem...que injustiça!
    Se foi dificil para mim, imagino para ti e para todos os que tiveram que passar por esse inferno...
    Desejo-te muita força e coragem, que Deus não vos volte a fechar os olhos, que te proteja e te ajude, a ti e a essas pessoas que tanto sofrem neste momento.
    Beijinhos, um abraço bem apertado
    Patrícia Madeira

    ResponderEliminar
  7. Não tenho palavras para descrever o que sinto, a dor que foi ver vidas perdidas, casas destruídas, e o sofrimento. Não consegui ajudar pessoalmente que era o que eu mais queria (por ter um bebé de 4 meses), mas ajudei de outra forma. Se a mim custou-me imenso, se chorei, nem quero imaginar o que passaste! Quero dar o meu maior apoio para ti e para toda aldeia, até mesmo para todas as zonas afectadas! Um grande beijinho <3

    ResponderEliminar
  8. Lamento muito toda esta situação, infelizmente sei bem o que isso é, é algo que nunca mais esquecerás, mas felizmente a vossa vida foi salvaguardada. Foi uma tragédia que assolou o país, estou solidária com todas as vítimas deste triste acontecimento.
    Beijinhos e coragem.

    ResponderEliminar
  9. Uma enorme tragédia e uma enorme tristeza , muita força para todos !!! Beijinho

    ResponderEliminar
  10. A muito tempo que não ando pelos blogs mas quando vi as noticias dos incêndios em Castanheira de Pera lembrei me de ti e de ter ideia que eras dessa zona.Não há muito a dizer sobre tamanha tragédia,as palavras aprecem ser poucas e insignificantes perante o que aconteceu e o quanto se perdeu.Ainda bem que não se passou nada de mal contigo e com os teus,e que esta tragédia sirva de lição para todos nos,temos muito a aprender com estas coisas,pena que nem sempre isso acontece.Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Márcia :) Há quanto tempo!!! Verdade, foi uma tragédia que ficará nas nossas memórias, vai ser complicado ultrapassar tudo o que se passou, principalmente quando saímos de casa e nos deparamos com o negro que restou... mas pronto... agora é bola pra frente. Só espero que isto não afete ainda mais a localidade onde vivo, porque o interior cada vez mais continua a ficar deserto de população e quase esquecido. Se nos deixam de visitar pelo menos no Verão, não sei o que será da vila nos próximos tempos/anos.

      Eliminar
  11. Infelizmente o meu tempo é muito reduzido para poder seguir as pessoas que gosto. Andei afastada de ti mas quando o meu homem me avisou do incendio a primeira frase que lhe disse foi" a Paula é de lá". Chorei tanto essa noite por ver tanto fogo e quando acordei ainda mais chorei pela tragédia. Só descansei um pouco quando soube noticia tuas. É incrível como ficamos tão impotentes sem ter noticias e sem poder ajudar pessoas que apesar de conhecer-mos através do ecrã mas das quais temos um carinho especial. Ainda hoje vejo noticias e cai a lágrima. Mas neste momento já é de tristeza e de raiva porque isto poderia ter sido evitado.
    Fico feliz que pelo menos tu e os teus estão bem dentro dos possíveis e rezo para que nunca mais volte acontecer. Obrigada pelo teu testemunho e gostava que o mesmo fosse lido pelas pessoas certas para evitarem isto tudo. Beijinhos grandes querida e força! <3

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Sónia. Felizmente está tudo bem, mas muito trabalho ainda há pela frente. Muita gente perdeu tudo o que tinha e outras estão psicologicamente afectadas também. Mas enfim, agora é tentar seguir em frente com todos os meios possíveis. Beijinho

      Eliminar
  12. E tudo vai ficar bem sim. Ainda ontem comentei com o marido que espero bem que todo aquele dinheiro angariado sejá para as famílias começarem de novo. Porque os concertos são muito bonitos mas para mim vale ė ver as ajudas no terreno a reconstruir em as casas as pessoas e a ver os electrodomésticos e bens a entrarem nas casas. O marido ainda me criticou de pensar assim mas Sou como São Tomé ver para crer. Beijinhos grandes querida e força.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Penso da mesma forma, ver para crer!! Infelizmente neste País, nem tudo é a realidade que se vê, tal como tu, espero que o dinheiro seja bem distribuído por quem realmente precisa. Veremos o que se sucede nos próximos tempos :) Beijinhos

      Eliminar
  13. sei que tem sido dificil....vai ser dificil de esquecer....foram muitas perdas humanas....perdas de uma vida...casas, carros, tractores , animais, fabricas....portugal e o mundo certamente nao vao esquecer, principalmente quem passou pessoalmente por tudo isto....falta apurar responsabilidades e meter maos a obra...sim meter maos a obra, ajudas chegaram de todos os lados, mas tenho as minhas duvidas que todos os bens e dinheiros que foram angariados cheguem a maos de quem mais precisa deles....acho que nesta altura tambem ha quem se aproveite do sofrimento dos outros e lucre com isto...saber quer casas foram assaltadas, que pessoas estao a angariar dinheiro e bens e que ficam com eles...depois sao as pessoas que vao supostamente ajudar , chegam, tiram foto e vao.se embora.....no meio disto tudo sabemos que portugal é solidario...vamos ver daqui a uns meses como estao as coisas....na madeira tambem se ajudou e pouco foi feito, a zona comercial essa sim, foi reerguida ...ha muito a fazer.....força miuda <3

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Exatamente! Disseste tudo :) Vamos ver os próximos tempos...

      Eliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

A Madrinha tem Saudades Tuas

Puffs Mágicos - Uma ideia criativa